Valor inbox: isso ajuda ou prejudica seu negócio?

Você está à procura algo para comprar na internet, especialmente no Facebook ou Instagram. Você encontra o que estava buscando, mas tem um porém: o “valor inbox”. Isso significa que o vendedor prefere que o cliente entre em contato via Messenger ou direct para saber o preço do (s) produto (s). Isso é uma prática muito comum em E-commerce, mas isso é bom para o vendedor? E para o cliente, é sempre motivo de desistência? Entenda esta estratégia. 

Primeiro precisamos entender que, quando uma página ou perfil recebe uma grande quantidade de mensagens, o algoritmo das redes entende isso como uma interação. Logo, começa a entregar mais os conteúdos da página para os seguidores, consequentemente aumentando a visibilidade. É por isso que essa técnica é recorrente em perfis mais novos, que necessitam de prospecção. 

Ter muito alcance para sua marca é ótimo, mas nem sempre é viável a qualquer custo. Pense: você tem sempre disponibilidade para responder rápido o possível cliente? O tempo de retorno é um fator importante no fechamento da venda. 

Vale ressaltar que o “valor inbox” é ilegal. De acordo com a Lei 13.543/2017, estabelecida como a Lei de Divulgação de Preços no E-commerce, nenhuma empresa pode esconder ou dificultar a visualização de preços para o consumidor. Além disso, o Código do Consumidor, no Art. 6º, III, proíbe essa prática. 

“A informação adequada e clara sobre os diferentes produtos e serviços, com especificação correta de quantidade, características, composição, qualidade, tributos incidentes e preço, bem como sobre os riscos que apresentem.” 

O cliente pode inclusive pensar que você modifica os preços de acordo com quem pergunta. Isso tira a credibilidade da sua empresa. Pense se esta estratégia existisse fora da internet: o cliente vai numa loja de roupas e não vê os preços nas etiquetas nem araras. O único jeito é perguntar ao vendedor. Logo, as chances de desistência são grandes. Não é uma boa ideia, certo? 

É claro que há exceções, como em empresas de venda de atacado, projetos de decoração e arquitetura, tratamentos de beleza e estética e afins. Resumindo, negócios que modificam o preço de acordo com a demanda ou as características do pedido para gerar um orçamento. 

Isso pode funcionar a curto prazo, mas logo seus clientes em potencial vão preferir outro vendedor que disponibilize o preço no post/site. Informações como preço, detalhes do produto, forma de pagamento e entrega são essenciais para um E-commerce de sucesso. Então nada de “valor inbox”! Seja transparente sobre os aspectos do seu produto e conquiste um bom relacionamento com o público.

@Maria Estevão

@Maria Estevão

Jornalista e bruxinha da Corvinal, apaixonada por animes, séries, livros e gatos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

×