Entenda as diferenças entre persona e público-alvo

Se você trabalha com Publicidade e áreas relacionadas, provavelmente já ouviu falar nos termos público-alvo e persona. Embora sejam parecidos e facilmente confundidos, existem diferenças que podem mudar totalmente o rumo do seu negócio. 

Primeiro, é preciso entender a importância de segmentar sua estratégia. Fazer um conteúdo criativo, com um layout bonito e linguagem adequada é ótimo. Mas é preciso que isso atinja as pessoas certas na hora certa. Por isso, é preciso ter em mente quais são as pessoas que você quer dialogar – e vender. É preciso também saber do que seu público precisa, para atender as necessidades dele.

Então, qual a diferença entre persona e público-alvo?

O público-alvo, ou target, é um conceito muito usado na publicidade e marketing. Significa um ou mais grupos de pessoas, levando em consideração características socioeconômicas, demográficas e comportamentais em comum. O público-alvo em geral considera, por exemplo:

  • Faixa etária

  • Salário

  • Localização

  • Sexo

  • Profissão

Digamos que você tenha uma loja online de cosméticos e seu público-alvo é mulheres entre 18 e 45 anos, com um poder aquisitivo médio, salário de 2 a 10 mil reais, na região da Baixada Santista. 

Isso significa que você deve criar estratégias para atingir principalmente estas pessoas que se encaixam nessas definições. Isso não quer dizer que 100% dos seus clientes vão se encaixar nesse padrão. Mas você deve pensar especialmente em atender estes grupos. Contudo, o conceito de público alvo é mais abrangente, o que pode comprometer sua estratégia, pois não leva em consideração vários fatores. 

Já uma persona é o “cliente ideal” da sua marca. Imagine alguém específico que sempre consumiria seu negócio e produziria engajamento nas redes sociais. Ainda usando o exemplo do E-commerce de cosméticos, a persona seria:

“Danielle tem 25 anos, é moradora de Santos e engenheira nível pleno numa empresa de médio porte. Ganha R$6.000,00 de salário e adora comprar cosméticos online, geralmente por indicação de alguma influencer do Instagram. Inclusive, essa é sua rede social preferida, em que gasta cerca de 3h por dia. Ela segue perfis que falam sobre beleza, moda e autocuidado. 

Danielle reserva, em média, 150 reais mensais destinados a produtos de skin care e maquiagem. Como hobby, ela gosta de ir para baladas e bares com as amigas nos fins de semana, ir para a praia e assistir séries e filmes. 

Ela gosta de estar sempre com a pele bem cuidada e bonita, mas não dispensa o uso de uma maquiagem mais pesada e colorida de vez em quando. No momento, está solteira, pois sempre colocou sua carreira em primeiro lugar. Mas está a procura um relacionamento sério. Seu sonho é casar dentro de 5 anos.”

Você consegue perceber a diferença? A descrição da “cliente imaginária” acima é muito mais detalhada e pode dar mais especificidade para sua tática de marketing. Além das informações básicas, ela fornece hábitos de consumo, hobbies, preferências, quais mídias é mais ativa, sonhos e afins. 

A partir disso, pode-se concluir que a melhor estratégia para sua loja online seria investir em prospecção no Instagram; além de maquiagens, comercializar produtos de cuidados com a pele; fazer promoções de “compre 1 e leve outro” ou até sorteios para chamar as amigas; investir em mídia off próximo a lugares em que essa persona frequenta; fazer parcerias com influencers digitais com esse tipo de conteúdo… As possibilidades aumentam.

Resumindo, não existe um jeito certo ou errado para conduzir sua marca. Tudo vai depender dos seus objetivos: fidelizar um público específico ou aumentar seu alcance? Seja qual for sua meta, a Êxodo te ajuda a escolher o melhor para sua empresa! 

@Marina Estevão

@Marina Estevão

Jornalista e bruxinha da Corvinal, apaixonada por animes, séries, livros e gatos.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
×